Turismo em Paris

Museu dos Inválidos ou Museu das Forças Armadas

Confesso que eu nunca fui amante das histórias de guerras, mas depois que me tornei moradora neste país é impossível não se envolver e se apaixonar; a história não só conta fatos passados como ajuda a entender um pouco mais sobre a economia dos países assim como a cultura de um povo.

Por isso resolvi escrever um pouco sobre o Musée de L´Armée (Museu das Forças Armadas), ou Musée des Invalides (Museu dos Inválidos) ou Hotel dos Invalides. Esse Palácio foi construído no século XVII e seu objetivo era atender ex combatentes do exército francês, os que não possuíam famílias, aqueles sem condições de morar sozinhos e também soldados mutilados ou perturbados mentalmente.

            

Atualmente ele ainda recebe pessoas mutiladas, inclusive durante minha visita ao local me deparei com alguns deles, e confesso que tive vontade em me aproximar, apresentar-me e fazer diversas perguntas; fiquei imaginando o quanto de histórias essas pessoas teriam para contar, mas infelizmente meu francês ainda não me possibilita a tal iniciativa. O local é também a sede de uma necrópole (conjunto de sepultamentos, ou mais conhecidos cemitério). Sua cúpula lindíssima dourada (revestida em folha de outro), é quase uma referência na cidade e pode ser vista de vários ângulos de Paris. O local é de fato impressionante, a imaginação se solta diante de tantas armaduras, armas, canhões e a cada salão novas histórias de diferentes épocas de diversos países.

  

Outra coisa que me chamou a atenção foram as roupas dos soldados, casacos bem grossos, coletes com diversos botões bordados, chapéus enormes e algumas calças de uniformes brancas. Fiquei pensando como devia ser difícil mantê-las em estado impecável.

No Museu você poderá ainda visitar o túmulo ostensivo do ilustre Napoleão Bonaparte e também o coração de Sébastien Le Preste de Vauban que foi um grande arquiteto militar francês e que na época foi o responsável pela poliorcética francesa (nome das técnicas para atacar um local cercado ou as técnicas para defendê-las, ele criou na época de Luis XVI várias fortificações militares ao reino, tornando-o impenetrável.

  

O pátio do Pálacio prolonga-se além dos limites do edifício através de uma grande esplanada pública, ao qual se encontram as embaixadas da Áustria, da Finlândia e o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Para quem vem a França pela primeira vez, é um passeio perfeito pela manhã e após incluir ao roteiro algumas outras visitas turísticas como por exemplo: atravessar o Rio Sena pela Ponte Alexandre III tendo como cenário principal a belíssima Torre Eiffel a alguns metros de distância, se deparar com a grandiosa beleza dos Petit Palais e o Grand Palais (Pequeno Palácio e Grande Palácio) onde são apresentadas diversas exposições de pintores famosos ou ainda com sorte, vislumbrar desfile de estilistas famosos.

Fica a dica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *