Mãe a distância

Hoje eu fui visitá-lo

Hoje é 02 de Novembro.

Um dia especial,  muito muito especial, fui visitá-lo.

Foram 4 horas de viagem, eu a estrada e muitas músicas para distrair a ansiedade.

Minutos antes de chegar, paro no farol ansiosa e para minha surpresa, avisto ele na bicicleta voltando da faculdade. Coração acelerado, mas tive que me conter, pé no freio esperando o sinal abrir.

O tempo estava bonito apesar da baixa temperatura, o sol clareava o dia entre as nuvens, muitas folhas caídas no chão, as árvores coloridas e trânsito de bicicletas.

Alguns piscar de olhos e me deparo com aquele sorriso aberto, olhar brilhante e cabelos presos. Meu coração batia forte, eu podia sentir minha pulsação querendo virar um grito de alegria.

Subimos para o apartamento, entrei e sorri, eu era visita, sim visita, mãe também é visita e fui pedindo licença, me colocando a dentro e seguindo para o seu quarto. Surpresa!!!! Estava tudo no lugar, o cheiro de incenso era bom e o ar estava aquecido, nos abraçamos, abraço forte que durou alguns minutos, lágrimas caíram, não contive a emoção.

Foram 2 dias intensos, voltei a ser mãezona, coruja mesmo, mãe que mima, que diz eu te amo sem motivo, que beija sem parar, que fixa o olhar sobre aquele rosto e o paralisa deixando o pensamento ir longe, não sei pra onde…

Cozinhei pra ele, saímos pra passear, limpei seu quarto “mantive suas coisas no lugar”, bom…”quase tudo”…eu tentei!!!!

Tomamos café da manhã juntos, fomos ao mercado, passeamos pela faculdade, pela floresta, sorrimos juntos e escutei suas novas experiências. Éramos dois adultos falando como adultos.

Em alguns momentos ele regressou, falou como criança me fazendo crer que a vida atual não estava fácil, era a saudade do colo de mãe, saudade da comida de mãe, saudade do carinho de mãe, saudade do beijo da mãe, saudade até das cobranças da mãe.

Eu também ja senti isso, mãe faz falta, e como faz…

A maturidade para ele também chegou cedo.

Ele me olhava nos olhos, estava feliz por estarmos juntos, e eu? Eu mais ainda.

Mas meu objetivo ali era mais que ser mãe, era mostrar com as minhas experiências como ter força, mostrar que apesar das dificuldades temos que seguir em frente, meu objetivo era mostrar que precisamos acreditar em nós mesmos e que aos poucos vamos tomando conta do tempo, trazendo ele “o tempo” para o nosso lado, e fazendo ele “o tempo” trabalhar a nosso favor.

Ele estava sensível, inseguro.

Ele se deu conta de que a realidade atual era outra, ele se deparou com a saudade de pessoas que se foram, se deparou com o medo de perder mais alguém, estava com medo do futuro, medo de não alcançar um sonho que ainda não se formou, medo de um objetivo que ainda não chegou.

Eu entendi, entendi cada palavra, cada suspiro, eu entendi o que para ele não tinha sido entendido.

A rotina dos dias podem melhorar sem dúvida, mas é preciso dominar o tempo.

Ele se deixa dispersar pelo livro para colorir, pelos videos de skate na rede social, pela meditação, pelo sono, pela preguiça, pelas novas amizades, pelo amor da namorada…

Faculdade não é colegial, faculdade é mais que interesse, é buscar a motivação dentro de si, é se organizar, trabalhar para si próprio, na busca de uma formação que será para a vida toda.

Livros e mais livros querem ser lidos, palestras pedem para ser assistidas, resumos são necessários para fixar na memória assuntos mais importantes, trabalhos devem ser iniciados e finalizados dias antes do prazo da entrega e calendário é para ser acompanhado. Esta tudo lá, mas é preciso comprometimento, envolvimento, responsabilidade e acima de tudo a tal maturidade.

Seus olhos lacrimejaram quando disse estar sofrendo por não saber lidar com a falta da avó que partiu, dos entes todos que também se foram e que deixaram somente a saudade, seguiu dizendo sentir falta da namorada que mesmo estando perto esta longe, medo de não corresponder as expectativas da mãe, as expectativas do marido da mãe, disse sofrer pela pressão para tirar boas notas, pressão para decidir sozinho objetivos que ainda não estão claros, por precisar sonhar um sonho que ele não sabe por onde começar, pressão para trabalhar e ai sim dizer que é independente, disse ainda ter medo dessa nova vida adulta, sem experiência, onde requer resolução de problemas que ele nunca viveu, medo de tantos medos.

Como eu entendi seus sentimentos de pressão, como eu entendi seus sentimentos de medo.

Mas eu estou aqui, não importa se as vezes perto ou longe, mãe é mãe, mulher maravilha que viveu a maravilha de ser mãe e viverá maravilhosamente sendo sempre mãe.

Você consegue, você ja conseguiu tantas coisas.

Você superou a infância com um pai ausente, a distância do ambiente de conforto, enfrentou o desconhecido, fez novos amigos, estudou num outro país, enfrentou a matemática em inglês, viajou sozinho, dormiu fora de casa, voltou na madrugada de metrô, abriu conta corrente, tirou nova identidade, fez comida, já fumou, já bebeu, já passou mal, já sofreu de amor e da falta dele também.

Meu filho querido, você já fez do limão uma limonada e eu não tenho dúvida de que fará dessa limonada o refresco para essa nova caminhada.

Acredite em você, um passo de cada vez e logo estará correndo firme e seguro. Lembra-te dos teus primeiros passos, mãos para cima tentando se equilibrar, você conseguiu!

Tenha responsabilidade com seus estudos, se dedique ao máximo, sempre é melhor mais do que menos.

Algumas questões podem lhe ajudar a encontrar alguns caminhos obscuros.

Como você se enxerga daqui a um ano, a dois anos ou a três anos? Suas respostas serão seus sonhos e para alcançar esses sonhos será preciso objetivos diários. Como você irá organizar esses objetivos? Como você se sustenta hoje? Esse sustento te trás uma estabilidade até quando? E depois, como você vai conseguir manter essa estabilidade atual?

Para cada resposta você ja terá dado alguns passos importantes, parece difícil, todo começo é, mas depois você pega o jeito e coloca no automático.

Hora de voltar para casa, controle emocional, sorriso no rosto, suspiro profundo e um abraço apertado.

Até logo filho querido, te amo, te amo pra sempre, te amo demais.

7 thoughts on “Hoje eu fui visitá-lo

  1. Não consegui conter as lágrimas… Elas simplesmente despecaram…. Muita emoção, muito amor…muito coração de mãe. Parabéns por ser tão sensível e tão mãe. Um beijo. Adri

  2. Que lindo Simone, como não se emocionar com suas palavras até as lágrimas. Sei bem este sentimento da distancia entre mãe e filho, é difícil mas necessário, amadurecimento para os dois. Seus textos são maravilhosos, me faz refletir e acalma o coração. Beijos

  3. Nossa Simone, lindas palavras. Estou me preparando, logo logo será minha vez de ver minha flor habitar em outro jardim. Mas é muito importante pra eles esse momento. Tenho Fé que tudo valerá a pena. Forte abraço. Que Deus esteja sempre abençoando vocês. Bjks

  4. ,Cada vez que leio o que voce escreve,fico tao emocionada.evoluindo sempre.Agradeca a Deus,ele lhe presenteou com o melhor dos presentes:sabedoria,sensibilidade e uma vivacidade que contagia mesmo de longe.E o mais gratificante e que voce faz juz ao que Deus lhe deu.Te amo ,amiga!!!

  5. Meu Deus Si que encontro lindo ,parecia cena de um filme não é fácil mas pode ter certeza que ele sempre conseguirá ao lembrar da mãe maravilhosa que tem! Impossível não se emocionar com vcs dois ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *